quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Meus velhos e bons botões, o inicio...

Coloco hoje fotos e este breve relato da minha, um pouco esquecida, mas, bem guardada coleção de botões de infância.

A caixa com 2 andares que peguei do meu velho pai "Batuta"

Tão bem guardada que não me lembro de ter perdido nenhum botão sequer nestes anos e anos passados e olha que vez enquanto meus filhos Thiago e Felipe acabam por abrir a caixa e brincar com alguns, mas já sabem bem que devem guarda-los novamente como pegaram na caixa.
Os 34 times
Eu e meu irmão Elias (tem também a coleção dele muito bem guardada) começamos a jogar em Barbacena, incentivados pelo nosso colega José Antônio “Neide”, lembro bem, tinha 13 anos, era Abril de 1984 e aí não paramos mais de comprar times e jogar torneios que eram por mim mesmo (o Presidente) organizados.

Várias marcas

A liga chegou a ter 1ª e 2ª Divisão com mais de 20 meninos, e nos dias de maior movimento enchia a garagem lá de casa, pior quando não era na garagem era dentro de casa mesmo. Dona Elza, minha mãe, ficava muito brava como toda mãe que se preza mas logo assava um bolo e distribuía para alegria da molecada.
Brianezzi
Tinha tabela bem confeccionada a lápis de cor, ranking e distribuição de medalhas e troféus arrecadados sempre com a choradeira da molecada em pagar taxas que hoje seriam de R$ 1,00.
Vidrilhas

Os botões eram dos mais variados modelos e fabricantes e me perdoem se eu errar nas referências: Galalites eram poucos por serem mais caros, os Guliver de plásticos e de cristal eram os de melhores desempenhos nos estrelões, Brianezzi e de outras marcas que não sei quais.
Galalites

Tinham também os adaptados por nós mesmos:  vidrilha de relógio, tampinhas de vidro de remédios que são uma história a parte, cobertura de chaveiros, botões de blusas, becões de tampas de io-io da Coca-Cola e Fanta uma outra história a parte e acrílicos cortados com faca quente, colados com cola tenaz e recortes de revista placar no meio tipo sanduíches que nós mesmos produzíamos, entre outros.
Tampinhas

Enfim uma bela história de Jogo de Botão que durou por 8 anos até 1992, muitos sonhos e alegrias, depois disso passaram longos anos de raras palhetadas, quando voltei a jogar aqui em Juiz de Fora já foi em um outro ambiente, é o Futebol de Mesa com outros botões profissionais, mas não menos prazeroso.
Fabricados em casa
 
Que viva o Jogo de Botão, que viva o Futebol de Mesa...

O escudo da liga L.N.B

 

Um comentário:

  1. Grandes lembranças desta época além de termos um grande acervo de times guardados, temos em nossas memórias grandes momentos, jogos inesquecíveis em uma época de ouro, que o tempo jamais irá apagar. Bela postagen.
    PS: Sugiro para a próxima postagen fazer uma matéria das transações entre os Técnicos envolvendo seus principais jogadores. Abraços

    ResponderExcluir